Previous
Next

Como montar um esquema de segurança para condomínios horizontais

Tendência entre as classes média e alta, os condomínios horizontais merecem atenção;

   Atualmente os condomínios residenciais horizontais são voltados para atender às classes média e alta da sociedade pois se configuram numa opção mais cara que os condomínios verticais. E, por esse motivo, eles normalmente possuem um bom orçamento para as suas despesas: serviços de conservação e limpeza, segurança, controle de acesso, urbanização, paisagismo etc. A coordenação e a execução da gestão da administração desses condomínios costuma ser terceirizada Considerando a alta extensão e a grande quantidade de pontos de vulnerabilidades no condomínio, entende-se a recorrência, entre os moradores, na busca por tecnologia para viabilizar soluções para suas necessidades de segurança. Os equipamentos de segurança, aliados a serviço de segurança com profissionais capacitados, são fundamentais na garantia do bom funcionamento do sistema de vigilância e da tranquilidade dos condôminos.

  Confira abaixo alguns itens que não devem ser esquecidos na hora de montar o esquema de segurança de um condomínio residencial horizontal.

* Se possível, estabeleça acessos físicos distintos (para veículos e pedestres) para moradores, visitantes e pessoal de serviço. Somente os moradores formalmente autorizados pelos responsáveis por cada unidade poderão entrar no condomínio conduzindo veículos. Para isso deve se utilizar sistemas de controle de acesso que possibilite controle real;

* Empregados e prestadores de serviços devem ser cadastrados e possuir seus dispositivos de acesso constantemente atualizados e autorizados pelos responsáveis das unidades;

* Caso opte por serviços terceirizados de segurança e no quadro haja vigilantes, exija profissionais formados, com reciclagem em dia, atualizados legalmente no exercício da função de vigilante, esteja ele armado ou não. Somente esses profissionais vinculados a uma empresa de segurança privada séria, idônea e legalizada poderão proporcionar a segurança técnica, legal e jurídica que essa complexa tarefa demanda. A não observação desse importante detalhe poderá representar grandes dores de cabeça ao condomínio decorrentes de uma atuação falha, dolosa ou ilegal da atividade. Empregados e prestadores de serviços devem ter autorização formal (por escrito) dos moradores para conduzir quaisquer objetos na saída do condomínio que não tenham sido registrados na entrada;

* Estabeleça procedimentos que permitam que os colaboradores de serviços (seja vigilante ou controlador de acesso) das guaritas de acesso possam barrar o acesso de pessoas sem serem coagidos com ameaças de pedidos de demissão de algum condômino. Deixe ao alcance deles pessoas que realmente tenham autoridade para se indispor com condôminos e visitantes, se for o caso;

* Registre todos os acessos e o trânsito interno do condomínio através de sistemas de CFTV (circuito fechado de televisão). Mantenha uma sala isolada e longe das portarias para monitorar essas imagens, com a presença de um operador durante 24h. Esse homem deverá estar em contato via rádio com todos os demais vigilantes/controladores de acesso atuantes no condomínio;

  • Estabeleça relacionamento mais estreito com a delegacia, batalhão ou companhia de polícia mais próximos pois em caso de necessidade eles enviarão suas viaturas o mais breve possível;
  • Adote barreiras perimetrais o mais forte possível, sendo ideal com muros altos com cercas de choque pulsativas interligadas a sistemas de alarme e com cobertura visual através de câmeras de CFTV;
  • Na contratação de funcionários, seja exigente quanto aos antecedentes criminais, referências profissionais e problemas de crédito e atualize frequentemente essas informações. É fundamental checar pessoalmente as referências profissionais dos empregados nos trabalhos anteriores, mesmo que o candidato tenha sido indicado por pessoa idônea. As cartas de referência estão se tornando obrigação legal dos empregadores;
  • Evite, dentro do possível, uma grande rotatividade desses funcionários;
  • Sistemas de alarmes monitorados instalados na área comum e nas unidades residenciais são determinantes como inibidores de arrombamentos e de invasões;
  • Cercas elétricas pulsativas, instaladas sobre os muros periféricos do condomínio, conforme a legislação estabelece, também são muito efetivas, principalmente se funcionarem ligadas ao sistema de alarme;
  • É importante haver um sistema de comunicação de rádios para os funcionários em trabalho. Principalmente à noite a comunicação é aliada fundamental nas rondas periféricas. Manter as áreas de circulação internas e periféricas (internas e externas) do condomínio bem iluminadas pois a claridade e o barulho são inimigos dos bandidos;

   Caso ainda esteja fazendo seu projeto de segurança ou sinta que é necessária uma atualização do seu atual sistema, procure uma empresa ou profissional de segurança com reputação, solidez e tradição nesse ramo. Somente assim os recursos disponíveis para a segurança do condomínio serão melhor alocados. Por fim, como a segurança total é um objetivo intangível, não deixe de ter e manter atualizadas as coberturas securitárias exigidas legalmente e outras complementares, que são imprescindíveis a todos os condomínios residenciais.

Autor: Marcos Moreno

Moreno é consultor especialista em condomínios e atua há mais de 26 anos nas áreas de segurança patrimonial, do trabalho, e prevenção e combate a incêndios. Foi coordenador do departamento de terceirização e segurança eletrônica da Itambé Administradora. Ministra cursos e palestras e já falou para mais de 9 mil pessoas. Supervisiona atividades relacionadas à segurança do trabalho e prevenção de incêndios, realiza vistorias técnicas para reconhecimento de riscos e oferece treinamentos para formação de Cipeiro designado, EPI, Mapa de Riscos, Brigada de Incêndio, Primeiros Socorros, revalidação de AVCB, Plano de Emergência, entre outros.