Previous
Next

Sanitização no dia-dia dos Condomínios

   Desde o início da pandemia por Covid-19, os condomínios mudaram seus hábitos, uma nova cultura foi implementada para a prevenção. A limpeza, mesmo com fechamento das áreas de uso comum, nunca foi tão importante. O padrão da higienização hospitalar chegou aos condomínios para reduzir a contaminação, sendo necessário que seja mantida a níveis rígidos para continuarmos preservando a saúde. Para isso é importante entender como está e como será feita a limpeza em todas as áreas dos Condomínios.

Para compreendermos sobre SANITIZAÇÃO vamos pensar o que já fazemos:

   Limpeza é quando removemos todas as sujidades nas superfícies visíveis aos olhos, com equipamentos ou por meio de um processo manual, são utilizados detergentes, desinfetantes, multiusos, álcool 46% e outros, onde já se obtém a retirada de alguns micro-organismos. Este procedimento é o primeiro passo indispensável para o sucesso de quaisquer outros passos, sendo que elimina mais de 95% dos micro-organismos (fungos bactérias e vírus). Hoje nós condomínios estão sendo utilizados; álcool 70% liquido e gel, cloro 2%, detergente clorado, hipoclorito de sódio, peróxido de hidrogênio ou quartanário de amônia para a limpeza geral e para montar barreiras eficazes de sanitização e algumas estratégias simples como capa protetora para as botoeiras dos elevadores, tapetes de sanitização nas entradas principais e manter os avisos para conscientização do público.

   A SANITIZAÇÃO de ambientes, oferecida pelas empresas de pragas promete eliminar o novo vírus mantendo até a próxima aplicação o local seguro de contaminação. Processo é realizado com o isolamento do local por algumas horas, alguns oferecem serviços como a nebulização ambiental, esterilização de ambientes, desinfecção preventiva, oxi-sanitização e muitos outros nomes. Temos certeza que é um trabalho importante hoje no combate ao Covid-19 e eficiente, mas deve ser analisado se o condomínio poderá continuar contratando o serviço. Devemos redobrar o cuidado com este tipo de contratação, pois a sanitização pode causar uma falsa sensação de segurança aos colaboradores e condôminos, que podem e não devem relaxar nos procedimentos básicos do combate ao novo Covid-19; usar máscara, higienizar frequentemente as mãos com água e sabão ou álcool em gel, evitar aglomerações e usar luvas sempre que necessário.

   Lembramos que o álcool líquido 70% foi liberado para venda frente a atual emergência de saúde pública pelo período de 180 dias, não sabemos se após este prazo continuaremos tendo acesso. Em caso de emergência a primeira opção é ligar para o SAMU (192). Muitos não sabem que existe um departamento específico para auxílios que englobam intoxicações que é o Disque-Intoxicação 0800-722-6001. 

Autor: Ana Claudia Dantas

36 anos, pedagoga, coordenadora de treinamento na empresa Ômega Service – Terceirização de mão de obra. Responsável pelos treinamentos de Limpeza e Higienização dos seus colaboradores.
Contato: anaclaudia@serviceomega.com.br