Empatia

Por Arlete Aquino*

Encosta sua cabecinha e no meu ombro e chora. Será que de forma figurada esta frase te lembra a palavra empatia? Você conhece a empatia através da comunicação não violenta?

Qual é o significado desta palavra?

Vamos refletir?

Quando recebemos uma reclamação ou uma crítica de um condômino, provavelmente, é ali nasce o conflito interno e externo.

Eu convido você a abrir trilhas de diálogos internos. Observe, evitando julgar.

Eu convido você a perceber como empregamos a empatia no nosso dia.

Observe se você se identifica com esta história real:

O casal no andar de cima fazia muito barulho durante a madrugada e a moradora do andar de baixo supunha que os dois estavam fazendo “sem-vergonhice”.

Quando eu ouvi este termo, confesso que eu fiquei com vontade de rir. No entanto, D. Madalena lembra muito a minha avó e, automaticamente, eu já pratiquei a empatia.

Já o síndico, Sr. Pedro que, por sinal demonstra compreender o processo de empatia) cortou a conexão com a senhora de 79 anos, ao dizer:

“ D. Madalena, eu sei o que a senhora está sentindo”.

Mas, D. Madalena, logo disse, furiosa: “ Ahh..o senhor não sabe não !!!!

E o senhor me respeite!!   O que eu sinto o Sr. não sabe e nem imagina a minha vida em casa”

E completou com muita raiva: “até porque o senhor é homem e homem só pensa naquilo”

a durante a pandemia da Covid-19, através das orientações da OMS, Ministério da Saúde e Associações do mercado de Limpeza Profissional, diversos manuais, foi publicado, com informações básicas para auxiliar condomínios residenciais e comerciais, para o melhor desempenho de suas atividades, colaborando na diminuição do risco de disseminação do novo Coronavírus. Tratando de um vírus novo, que vem sendo estudado, mas ainda não liberaram nenhuma vacina, este texto te ajudará com medidas imediatas de prevenção e controle da transmissão. Mudanças poderão ocorrer a qualquer momento, a partir de novas diretrizes do Ministério da Saúde, OMS (Organização Mundial da Saúde), ANVISA e demais órgãos da saúde.

Sabendo que a limpeza tem este papel importante dentro do atual contexto, além dos cuidados pessoais, limpar e desinfetar os ambientes corretamente, de acordo com as normas e protocolos é importante destacar a entidade como ANVISA – que assegura o uso de produtos químicos registrados é são as ferramentas mais eficazes para frear o Coronavírus. Portanto, antes de iniciar qualquer atividade de limpeza e desinfecção, os colaboradores devem seguir rigorosamente as indicações nos rótulos dos produtos e fazer uso dos EPI´s. Os procedimentos também devem ser realizados com rigor para assegurar que o ambiente seja limpo e esteja saudável para que as pessoas possam utilizá-lo com segurança.

Há 1 ano que esta crise estava instalada no condomínio, porque a. Dona Madalena inundou o escritório e a cabeça do síndico com intimidações e retaliações.

Muitas vezes, o conflito desabrocha mais pela forma de como ouvimos. E de como expomos nossas ideias do que propriamente pelo fato que gerou a frustração.

Os trabalhos práticos da Comunicação não violenta nos promovem competências emocionais para formular e elaborar pedidos autênticos e claros, sem cair na passividade ou anulação dos seus propósitos.

Eu convido você, de forma prática e reflexiva, a cuidar destas necessidades:

Nesta situação exposta acima, o que está em jogo?

Quais são as   necessidade da Dona Madalena precisam ser atendidas para que as coisas se encaminhem para o entendimento entre as partes?

Seria a necessidade de:

Escutar? Seria de consideração? De cuidados?

O que chamamos de comunicação empática não se limita a colocarmo-nos no lugar do outro, mas também pressupõe que devemos checar os sentimentos e necessidades do outro e ainda estabelecer relações de parceria e cooperação.

Num desentendimento entre um síndico e um condômino, a imposição de atitudes e posturas ameaçadoras, as acusações, os julgamentos e a célebre frase:

“Deixe-me mexer no bolso que ele entenderá“ (multas) não produz resultados harmônicos, mas sentimentos negativos.

Por isso, eu lhe convido a experienciar a não violência!

Na próxima matéria desta coluna, contarei como estes desconfortos foram contornados   e onde podemos focar a nossa atenção nesta e em outras situações semelhantes oferecendo empatia.

Também entregarei outras matérias sobre este tema, que é muito interessante, e pode nutrir as nossas relações interpessoais.

Autor: Arlete Aquino

Advogada no escritório Lobão Advogados, Pós-graduada em Direito Negocial e Imobiliário pela Escola Brasileira de Direito, atuando na área de contencioso e consultoria na área Cível, Imobiliária e Condominial. 

Mais informações: sabrina@lobaoadvogados.com.br